Segunda-feira , 14 Outubro 2019

Túnel de quase 6 metros é descoberto em presídio no Pará

Um túnel com quase 6 metros de comprimento e 2,5 de altura foi encontrado no pavilhão 8 do Centro de Recuperação Penitenciário do Pará I (CRPP I), em Santa Izabel do Pará (Região Metropolitana de Belém), durante revista nesta quarta-feira (24). A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) vem intensificando as revistas em suas unidades como método preventivo para garantir mais segurança no cárcere.

Os internos do pavilhão 8 responderão a Procedimento Disciplinar Penitenciário (PDP), e tiveram visitas e banho de sol suspensos por tempo indeterminado. Foram encontrados ainda, em diversas celas, oito teresas (cordas artesanais), 11 celulares, duas baterias, sete carregadores e seis fones de ouvido.

Akira Onuma

 

Arthur Queiroz, diretor do CRPP I, informou que esta é a primeira vez que uma revista de grande porte ocorre na unidade, o que representa um enorme avanço para o funcionamento da casa penal. Ele destacou, ainda, que além das ações preventivas estão em andamento obras para reparar danos já existentes, como fechamento de buracos, reforma nas áreas de contenção e recuperação de portões.

“Durante todo esse tempo de Sistema nós nunca vimos uma estrutura dessa, montada com mais de 100 policiais militares dando apoio, e uma média de quase 50 agentes prisionais trabalhando na contagem de presos, fazendo revistas e cuidando da parte estrutural. Nós queremos mostrar não só a revista em si, mas também que estamos atentos e vigilantes com relação a qualquer ocorrência na casa penal, além de mostrar que estamos reformando as celas. Disciplinamos os presos e avisamos que, se eles quebrarem novamente alguma estrutura, sofrerão as consequências”, acrescentou.

Apoio da PM – A operação começou às 7 h desta quarta-feira. As sete horas de revista contaram com o apoio da Polícia Militar, que disponibilizou pelotões do Batalhão de Choque, da Rotam, do Canil e da Cavalaria, além de homens do Comando de Operações Especiais (COE). O suporte foi garantido por agentes prisionais e do Batalhão de Polícia Penitenciária (Bpop).

De acordo com Ana Carla Almeida, coordenadora de Administração Penitenciária (DAP), da Susipe, uma revista dessa proporção, que contou com um efetivo de aproximadamente 120 servidores da área de segurança pública – entre policiais militares e agentes penitenciários, com o corpo de diretores da Susipe -, mostra que a disciplina está sendo implantada.

“Mostramos para o interno custodiado o poder do estado de punição, fiscalização e controle dos objetos que adentram nas unidades prisionais de forma ilícita. O poder de ação da polícia na unidade dá uma distensionada no cárcere, porque eles verificam que tem que ter disciplina, e passam a ter outra conduta em relação ao cumprimento da pena”, afirmou.

Aplicativo – Os agentes da Polícia Militar deram suporte também à realização do primeiro teste funcional do aplicativo móvel do Infopen (sistema de informações estatísticas do sistema penitenciário brasileiro). De acordo com o diretor do Núcleo de Tecnologia da Informação da Susipe, Renan Almeida, com a plataforma digital é possível dar apoio imediato às operações, identificando de forma dinâmica os presos – a principal função do aplicativo.

“No momento em que o aplicativo estiver liberado para uso, a ideia é otimizar a identificação dos presos envolvidos nessas operações, até mesmo uma possível extensão da utilização pelas forças de segurança pública de forma ostensiva”, informou.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*