Terça-feira , 20 Agosto 2019

O AGREGAR DE SABERES

A busca pelo saber é incessante e inspiradora, pois só o saber pode mudar uma realidade excludente e opressora e/ou estagnada no conformismo. Quando uma comunidade se junta em prol de um mesmo objetivo, a troca de saberes acontece de forma motivadora e envolvente, sendo assim, o saber se torna um fator essencial para o desenrolar dos fatos, visto que cada indivíduo carrega dentro de si conhecimentos que podem agregar aos saberes do outro.
Paulo Freire afirma que “Não há saber mais ou saber menos: Há saberes diferentes” assim, o agregar dos conhecimentos faz uma somatória de saberes que se unem em prol de um objetivo que pode vir a se transformar em uma agradável e feliz realidade.

A Escola Municipal Manoel Libório do município de Santa Luzia do Pará localizada na comunidade conhecida como Estiva, sob a direção de Shirlei Maciel, promoveu na última sexta-feira (31/05/19) um Café Literário para dar culminância ao projeto “Poesias e poemas” sob o tema “Agricultura de subsistência familiar e meio ambiente” ao qual os alunos desenvolveram textos poéticos voltados para o dia a dia da comunidade, para a importância do plantio frente à realidade e necessidade de tal atividade do cultivo das plantações.

Diante do grande feito, a direção da escola convidou os poetas da ACLA Paulo Vasconcellos, Rosilda Dax e Conceição Maciel, assim como o poeta Maikon Douglas, todos de Capanema-Pa, para se fazerem presentes na culminância daquele importante projeto onde a literatura era o pano de fundo para o limiar entre o saber e o aprendizado, tal convite foi imediatamente aceito pelos pretensos colaboradores da arte literária.

Naquele momento os saberes se encontraram e se agregaram, a troca de experiências, a busca pelo passado, as lembranças em verso e prosa, a curiosidade nas jovens vozes, a atenção voltada para as palavras do poeta, tudo era um ressoar de vozes, de saberes, de conhecimentos trocados em palavras, em olhares, em gestos, em sorrisos, em informações que espera-se, foram absorvidas pelos ouvintes.

Sob a Coordenação de Vera Lúcia Costa e orientação dos professores Francisco Vieira e Antônia Lúcia Maciel e Mariane Diniz, os alunos do 5°, 6° e 7° ano daquela importante entidade escolar, incentivados pelo projeto Agricultura de subsistência familiar e meio ambiente”, desenvolveram textos poéticos a partir desta temática que é utilizada como fonte de trabalho para a maioria das famílias daquela comunidade. A escola também desenvolve o projeto “Jornal na escola” coordenado pelos professores Francisco Vieira e Antônia Lúcia Maciel, todo o desenrolar do evento “Poesias e poemas” será compartilhado nesse meio de comunicação que é totalmente confeccionado na escola e circula em suas dependências contemplando e fomentando variados gêneros literários. Uma belíssima iniciativa.

Desta forma, entende -se a importância de projetos voltados para a literatura sob o binômio ensino-aprendizado, sendo aplicado à luz de um desenvolvimento atraente, criativo, desafiador e eficaz, de modo que o aluno sinta-se atraído de forma cativa participando ativamente das atividades propostas pelo professor e, por falar no ensinar, o teórico Nietzsche, diz que a primeira tarefa da educação é ensinar a ver, percebe-se um teor poético muito forte nessas palavras, pois é através dos olhos que o indivíduo em franco desenvolvimento toma contato com a beleza fascinante do mundo ao seu redor. Sendo assim, os olhos também devem ser educados, para que a beleza que se observa no mundo, não se perca, mas que aumente a cada novo dia.

Foi isso o que se viu na escola Manoel Libório, a beleza em cada olhar, o encanto no aprender, a alegria no ensinar, o fascínio na troca de saberes, a maravilha que é o ler e escrever. As novas descobertas estão aí à nossa frente, é só levantar a cortina da ignorância ou do comodismo e apontar na direção do que nunca se viu e descobrir o novo, o fascinante mundo das novas descobertas, seja na escrita, na leitura, na troca de experiências, no agregar de saberes ou mesmo no apertar das mãos, às vezes num pequeno gesto descobrimos a riqueza que é o verdadeiro conhecimento.

Que a arte literária continue o caminho das novas descobertas e que os saberes sejam um agregar de alegres momentos como o que vivemos na escola Manoel Libório. Saudações.

Maria da Conceição Maciel da Silva

Integrante da Academia Capanemense de Letras e Artes- ACLA

Edição e fotos: Maikon Douglas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*